Entre em contato

Biodiversidade

Biodiversidade oceânica: Acordo global sobre proteção e uso sustentável de recursos e biodiversidade em alto mar

Compartilhar:

Publicado

on

As negociações globais foram concluídas sobre o histórico Tratado do Alto Mar para proteger o oceano, combater a degradação ambiental, combater as mudanças climáticas e prevenir a perda de biodiversidade.

O novo tratado permitirá estabelecer áreas marinhas protegidas em grande escala em alto mar, que também são necessários para atender ao compromisso global da Acordo Global de Biodiversidade Kunming-Montreal concluído em dezembro passado para proteger pelo menos 30% do oceano até 2030. Pela primeira vez, o tratado também exigirá avaliar o impacto das atividades económicas na biodiversidade do alto mar. Os países em desenvolvimento serão apoiados em sua participação integração e implementação do novo tratado por um forte componente de capacitação e transferência de tecnologia marinha, financiado por uma variedade de fontes públicas e privadas e por um mecanismo equitativo para compartilhar os benefícios potenciais dos recursos genéticos marinhos.

Este tratado de 'Biodiversidade Além da Jurisdição Nacional', acordado hoje na 5th Conferência Intergovernamental em Nova York, é fruto de mais de uma década de engajamento global para encontrar soluções para esta questão ambiental global crucial. O UE e seus os Estados-Membros têm liderado o Coalizão de Alta Ambição BBNJque desempenhou um papel fundamental na obtenção do acordo. A coligação reúne 52 países que se comprometem, ao mais alto nível político, a concretizar ações ambiciosas para a proteção do oceano. Era lançado no One Ocean Summit 2022 em Brest pelo presidente von der Leyen juntamente com a Presidência francesa do Conselho.

Próximos passos

Terminadas as negociações, o Acordo entrará em vigor assim que 60 Estados o ratificarem. A UE trabalhará para garantir que isso aconteça rapidamente e para ajudar os países em desenvolvimento a se prepararem para sua implementação. Para este fim, a UE prometeu 40 milhões de euros como parte de um Programa Global para o Oceano e convidou os membros da High Ambition Coalition a fazer o mesmo dentro de suas capacidades.

A adoção formal do tratado ocorrerá assim que a depuração legal nos idiomas da ONU estiver concluída.

Contexto

Anúncios

O alto mar oferece benefícios ecológicos, econômicos, sociais e de segurança alimentar inestimáveis ​​para a humanidade e precisa de proteção urgente.

As áreas além da jurisdição nacional cobrem quase dois terços dos oceanos do mundo, incluindo o alto mar e o fundo do mar além da jurisdição nacional. Eles contêm recursos marinhos e biodiversidade e fornecem benefícios ecológicos, econômicos, sociais, culturais, científicos e de segurança alimentar para a humanidade. No entanto, eles estão sob pressão crescente de poluição (incluindo ruído), superexploração, mudança climática e diminuição da biodiversidade.

Perante estes desafios e tendo em vista as futuras exigências crescentes de recursos marinhos para alimentação, medicamentos, minerais e energia, entre outros, uma esmagadora maioria de Estados concordou com a necessidade deste tratado de alto mar, que assume a forma de um novo Acordo de Implementação sob a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (UNCLOS) para proteger e usar de forma sustentável os recursos dessas áreas. O Acordo implementará ainda mais os princípios existentes na UNCLOS para alcançar uma gestão mais holística das atividades realizadas em alto mar. Estes princípios incluem o dever de cooperação, de proteção e preservação do meio marinho e de avaliação prévia do impacto das atividades.

Este Acordo de Implementação é o terceiro deste tipo após acordos específicos sobre mineração do fundo do mar em 1994, e a gestão de estoques de peixes transzonais e altamente migratórios em 1995. O novo acordo colocaria a UNCLOS em dia com os desenvolvimentos e desafios que ocorreram desde foi desenvolvido há trinta anos e apoiaria ainda mais a realização da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, em particular o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14 ('Vida Abaixo da Água').

Mais informação

Site da Comissão sobre a coalizão de alta ambição e as negociações BBNJ 'Protegendo o oceano, hora de agir'

Compartilhe este artigo:

O EU Reporter publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do EU Reporter.

TENDÊNCIA