#EUOmbudsman diz que os Estados membros devem abrir negociações opacas sobre as leis da UE

| Fevereiro 13, 2018

Após um inquérito detalhado, o Provedor de Justiça Europeu Emily O'Reilly (foto) has found that the Council of the EU – through practices that inhibit the scrutiny of draft EU legislation – undermines citizens’ right to hold their elected representatives to account. This constitutes maladministration.

O Provedor de Justiça critica especificamente o fracasso do Conselho em registrar de forma sistemática a identidade de posições dos Estados membros durante as discussões sobre o projeto de legislação e a prática generalizada de marcar documentos desproporcionalmente como não para circulação, ou LIMITE.

A abordagem está aquém do que se espera do Conselho em termos de transparência legislativa. O Provedor de Justiça agora pede ao Conselho que registre sistematicamente os cargos dos Estados membros nos grupos de trabalho do Conselho e nas reuniões do embaixador do COREPER e, em princípio, disponibilize esses documentos proativamente ao público em tempo hábil.

O'Reilly também está pedindo critérios claros para usar o status 'LIMITE' e que o status seja revisado antes que uma lei seja adotada.

“It’s almost impossible for citizens to follow the legislative discussions in the Council between national government representatives. This ‘behind-closed-doors’ approach risks alienating citizens and feeding negative sentiment,” said O’Reilly. “National government representatives involved in legislative work are EU legislators and should be accountable as such. If citizens do not know what decisions their governments are taking, and have taken, while shaping EU laws, the ‘blame Brussels’ culture will continue. EU citizens have a right to participate in the making of laws which affect them, but to do so, they need more openness from their governments in Brussels.

"Tornar o processo legislativo da UE mais responsável perante o público, ao ser mais aberto, enviaria um sinal importante antes das eleições européias no 2019", disse o Ombudsman.

The Ombudsman expects the Council to reply by 9 May 2018. Background The Council is co-legislator along with the European Parliament. Before the national Ministers meeting in the Council reach a formal position on a draft law, preparatory discussions take place in the Council’s meetings of national ambassadors and in the over 150 Council working parties attended by national civil servants.

Durante o inquérito, o Provedor de Justiça colocou as questões específicas do 14 no Conselho e o seu escritório inspecionou os documentos de três arquivos do Conselho para obter uma visão de como os documentos são produzidos, divulgados e publicados. O escritório também organizou uma consulta pública, que recebeu envios 21, incluindo membros do público, parlamentos nacionais, sociedade civil e acadêmicos.

O inquérito do Provedor de Justiça também mostrou, por exemplo, que, para obter uma imagem completa de toda a documentação relativa a uma legislação, são necessárias quatro pesquisas diferentes no registro do documento do Conselho para negociações em órgãos preparatórios e duas pesquisas em outras seções do site para discussões a nível do Conselho.

O Provedor de Justiça investiga denúncias de má administração nas instituições, agências e órgãos da UE. Qualquer cidadão da UE, residente ou uma empresa ou associação na UE pode apresentar uma queixa junto ao Provedor de Justiça. Os poderes do Provedor de Justiça incluem o direito de inspecionar documentos da UE, chamar funcionários para testemunhar e abrir consultas estratégicas por sua própria iniciativa. Para mais informações, clique aqui.

Tags: ,

Categoria: Uma página inicial, EU, Provedor de Justiça Europeu, Artigo em destaque