Entre em contato

coronavírus

Coronavírus: Comissão assina um terceiro contrato com BioNTech-Pfizer para um adicional de 1.8 bilhões de doses

Compartilhar:

Publicados

on

Usamos sua inscrição para fornecer conteúdo da maneira que você consentiu e para melhorar nosso entendimento sobre você. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

Hoje (20 de maio), a Comissão Europeia assinou um terceiro contrato com as empresas farmacêuticas BioNTech e Pfizer. Ele reserva 1.8 bilhão de doses adicionais em nome de todos os estados membros da UE, entre o final de 2021 e 2023. Permitirá a compra de 900 milhões de doses da vacina atual e de uma vacina adaptada a variantes, com opção de compra de 900 milhões de doses.

O contrato exige que a produção da vacina seja realizada na UE e que os componentes essenciais sejam provenientes da UE. Prevê ainda que, desde o início do fornecimento em 2022, a entrega para a UE seja garantida. A possibilidade de os estados membros revenderem ou doarem doses a países necessitados fora da UE ou por meio do COVAX Facility foi reforçada, contribuindo para um acesso global e justo à vacina em todo o mundo.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse: “Com a nossa assinatura, o contrato com a BioNTech-Pfizer está em vigor, o que é uma boa notícia para a nossa luta de longo prazo para proteger os cidadãos europeus contra o vírus e suas variantes! BioNTech-Pfizer tem sido fundamental para nos ajudar a entregar doses suficientes até julho para vacinar 70% da população adulta. Com este contrato de nova geração, a produção e entrega na UE de até 1.8 bilhões de doses estão garantidas. Os contratos potenciais com outros fabricantes seguirão o mesmo modelo, para o benefício de todos ”.

Anúncios

Um comunicado de imprensa está disponível aqui.

Anúncios

coronavírus

HERA: Primeiro passo para o estabelecimento da EU FAB, uma rede de capacidades de produção sempre quente

Publicados

on

A Comissão publicou o Aviso de Informação Prévia, que fornece aos fabricantes de vacinas e produtos terapêuticos informações preliminares sobre a convocação do FAB da UE para a competição, planejada para o início de 2022. O objetivo do FAB da UE é criar uma rede "sempre quente" capacidades de produção para fabricação de vacinas e medicamentos que podem ser acionadas em caso de crises futuras. O FAB da UE abrangerá vacinas múltiplas e tecnologias terapêuticas. Para estarem sempre operacionais, espera-se que os locais de produção participantes garantam a disponibilidade de pessoal qualificado, processos operacionais claros e controles de qualidade, permitindo que a UE esteja mais bem preparada e responda a futuras ameaças à saúde. A EU FAB poderá ativar de forma rápida e fácil sua rede de capacidades de fabricação para atender a demanda de vacinas e / ou necessidades terapêuticas, até que o mercado tenha ampliado as capacidades de produção. A UE FAB constituirá uma componente fundamental da dimensão industrial da Autoridade Europeia para a Preparação e Resposta a Emergências de Saúde (HERA), conforme anunciado na Comunicação Apresentando HERA, o próximo passo para completar a União Europeia da Saúde, em 16 de setembro. O Aviso de Informação Prévia no FAB da UE está disponível aqui.

Anúncios

Leia mais

coronavírus

Comissão aprova esquema letão de 1.8 milhões de euros para apoiar criadores de gado afetados pelo surto de coronavírus

Publicados

on

A Comissão Europeia aprovou um esquema letão de 1.8 milhões de euros para apoiar os agricultores que atuam no setor da pecuária afetado pelo surto do coronavírus. O regime foi aprovado ao abrigo do auxílio estatal Estrutura Temporária. Ao abrigo do regime, o auxílio assumirá a forma de subvenções diretas. A medida visa mitigar a escassez de liquidez que os beneficiários enfrentam e fazer face a parte das perdas sofridas devido ao surto do coronavírus e às medidas restritivas que o governo letão teve de implementar para limitar a propagação do vírus. A Comissão concluiu que o regime está em conformidade com as condições do Quadro Temporário.

Em particular, o auxílio (i) não excederá 225,000 € por beneficiário; e (ii) será concedida até 31 de dezembro de 2021. A Comissão concluiu que a medida é necessária, adequada e proporcionada para remediar uma perturbação grave na economia de um Estado-Membro, em conformidade com o Artigo 107 (3) (b) TFUE e as condições estabelecidas no Quadro Temporário. Nesta base, a Comissão aprovou o regime ao abrigo das regras da UE em matéria de auxílios estatais. Mais informações sobre o Quadro Temporário e outras medidas tomadas pela Comissão para abordar o impacto econômico da pandemia de coronavírus podem ser encontradas aqui. A versão não confidencial da decisão será disponibilizada sob o número de processo SA.64541 no registro de auxílio estatal na Comissão competição site, uma vez que qualquer problema de confidencialidade tenha sido resolvido.

Anúncios

Leia mais

coronavírus

Comissão aprova esquema português de 500,000 euros para continuar a apoiar o setor de transporte de passageiros nos Açores no contexto do surto de coronavírus

Publicados

on

A Comissão Europeia aprovou um regime português de 500,000 euros para continuar a apoiar o sector do transporte de passageiros na Região dos Açores no contexto do surto de coronavírus. A medida foi aprovada ao abrigo do auxílio estatal Estrutura Temporária. Segue-se outro regime português de apoio ao sector do transporte de passageiros nos Açores, aprovado pela Comissão em 4 2021 junho (SA.63010) Ao abrigo do novo regime, o auxílio assumirá a forma de subvenções directas. A medida estará aberta a empresas de transporte colectivo de passageiros, de todas as dimensões, com actividade nos Açores. O objetivo da medida é mitigar a repentina escassez de liquidez que essas empresas estão enfrentando e fazer frente às perdas incorridas ao longo de 2021 devido ao surto do coronavírus e às medidas restritivas que o governo teve que implementar para limitar a propagação do vírus.

A Comissão concluiu que o regime português está em conformidade com as condições estabelecidas no Quadro Temporário. Em particular, o auxílio (i) não excederá 1.8 milhões de euros por empresa; e (ii) será concedida até 31 de dezembro de 2021. A Comissão concluiu que a medida é necessária, adequada e proporcionada para remediar uma perturbação grave na economia de um Estado-Membro, em conformidade com o Artigo 107 (3) (b) TFUE e as condições do Quadro Temporário. Nesta base, a Comissão aprovou a medida ao abrigo das regras da UE em matéria de auxílios estatais. Mais informações sobre o Quadro Temporário e outras medidas tomadas pela Comissão para abordar o impacto econômico da pandemia de coronavírus podem ser encontradas aqui. A versão não confidencial da decisão será disponibilizada sob o número de processo SA.64599 no auxílios estatais registrar-se na Comissão website da competição uma vez resolvidos os problemas de confidencialidade.

Anúncios

Leia mais
Anúncios
Anúncios
Anúncios

TENDÊNCIA