Entre em contato

Mídia

Kremlin proíbe meios de comunicação da UE

Compartilhar:

Publicado

on

Russia has banned 81 EU-based media outlets, claiming they “systematically disseminate false information about the progress of a special military operation [Russia’s invasion of Ukraine].”.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia anunciou a decisão na terça-feira (25 de junho) em resposta às restrições da UE impostas aos meios de propaganda russos.

Russia’s online ban extends to national broadcasters and news organisations in Austria, the Czech Republic, Estonia, Greece, Finland, France, Ireland, Italy, Latvia, Lithuania, Malta, the Netherlands, Portugal, Spain, and Sweden, but not Germany or Poland.

Also banned by the Kremlin are several of Europe’s most well-known newspapers, including Berlingske in Denmark, France’s Le Monde and Liberation, Germany’s FAZ, Der Spiegel, and Die Zeit, the Irish Times, La Repubblica in Italy, NRC in the Netherlands, and El Pais in Spain.

Quatro meios de comunicação social centrados na UE, a Agence Europe, o Politico e o EUObserver em Bruxelas e a RFE/RL em Praga, estão incluídos na proibição.

Moscovo não identificou outros meios de comunicação social centrados na UE, como o EU Reporter, o Euractiv ou o Euronews.

O governo russo também poupou todos os meios de comunicação pró-Rússia na Hungria, com exceção de um meio de comunicação independente, o 444.hu.

The ministry described the action as a “mirrored and proportionate” reaction to EU measures against Russian media.

“If restrictions on Russian media are lifted, the Russian side will also reconsider its decision in relation to the mentioned media operators,” the Russian Embassy stated.

Na segunda-feira, a UE colocou na lista negra quatro canais de propaganda russos: Voice of Europe, RIA Novosti, Izvestia e Rossiyskaya Gazeta.

Numa investigação recente levada a cabo pelos serviços de informação belgas, checos e polacos, a Voz da Europa, com sede em Praga, foi acusada de subornar eurodeputados para agirem em nome da Rússia. Isso ainda está sendo investigado.

Anteriormente, a UE proibia as estações russas Katehon, Pervyi Kanal, REN TV, Rossiya 1, Rossiya 24, Spas TV, Sputnik, Russia Today, Tsargrad TV e muitas das suas subsidiárias.

Também colocou na lista negra mais de 100 indivíduos russos por promoverem propaganda, incluindo a editora-chefe da RT, Margarita Simonyan, e o apresentador de TV Vladimir Soloviev.

According to the Paris-based group Reporters Without Borders (RSF), Russia ranks near the bottom of the world in terms of press freedom (162nd out of 180). RSF’s website is likewise blocked in Russia.

Věra Jourová, comissária de valores da UE, afirmou no X que a proibição da comunicação social russa é uma represália desnecessária.

“Russia-funded propaganda sources spreading disinformation as part of Russia’s military strategy are not the same as independent media. Democracies understand that,” she remarked.

Compartilhe este artigo:

O EU Reporter publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do EU Reporter.

TENDÊNCIA