Entre em contato

Irão

“O povo iraniano está pronto para derrubar o regime”, diz líder da oposição aos eurodeputados

Compartilhar:

Publicado

on

A presidente eleita do Conselho Nacional de Resistência do Irã, Maryam Rajavi, instou os eurodeputados a apoiar uma postura muito mais dura da UE e de seus estados membros contra o regime teocrático em Teerã. Ela disse que o povo de seu país se levantou contra o fascismo religioso e criticou a inação europeia em resposta às execuções de manifestantes, escreve o editor de política Nick Powell.

Maryam Rajavi regressou ao Parlamento Europeu quatro anos após a sua última visita, um período que assistiu a um crescimento maciço da resistência popular ao domínio dos mulás no Irão. Ela agora é presidente eleita do proeminente órgão de oposição, o Conselho Nacional de Resistência do Irã. Sua luta durou toda a vida, desde que ela participou de protestos estudantis contra a ditadura do último xá.

Dezenas de eurodeputados de diferentes grupos políticos vieram ouvir Maryam Rajavi. Ela disse que 112 prisioneiros foram executados pelo regime desde o início de maio, em uma tentativa de criar uma atmosfera de terror para evitar novos levantes. O povo respondeu com protestos contra esses atos brutais assassinatos mas a resposta da Europa foi decepcionante.

“Infelizmente, assistimos a uma falta de ação da União Europeia e dos seus Estados-membros”, afirmou. “Opor-se às execuções não é um dos princípios bem conhecidos da União Europeia? Então, por que, quando se trata do Irã, interesses econômicos e considerações políticas minimizam a importância da situação dos direitos humanos?”

“Estou aqui hoje para ser a voz dos manifestantes no Irã, especialmente das mulheres, que se levantaram contra a ditadura religiosa”, acrescentou, dizendo que sua mensagem era que o povo iraniano se levantou para derrubar o fascismo religioso. “Eles rejeitam a tirania em todas as suas formas e persistirão em sua luta até alcançarem a liberdade e a democracia.”

Stanislav Polčak, do grupo EPP, disse que o Parlamento Europeu deve apoiar a criação de uma república democrática e secular no Irã e descreveu o Conselho Nacional de Resistência como a única oposição ativa ao regime. Outro eurodeputado do PPE, Ivan Štefanec, disse que sob a liderança de Maryam Rajavi, as pessoas no Irão estão “mais perto do que nunca da sua liberdade”. Ele instou aqueles que ainda achavam possível para a UE ter um relacionamento construtivo com o regime a lembrar a lição da história, que “quando se enfrenta o fascismo, o apaziguamento não funciona”.

Ryszard Czarnecki, do grupo ECR, condenou aqueles que ainda esperavam manter os negócios com o regime iraniano, dizendo que os mulás deveriam pagar um preço alto pelo fornecimento de drones à Rússia para uso em sua guerra na Ucrânia. Mas Jan Zahradil, também do ECR, alertou que alguns políticos da UE e dos EUA estão confortáveis ​​com o status quo, pois ainda acreditam que podem fazer acordos com o regime.

Anúncios

Dentro do Irã, a resistência organizada está crescendo. O Conselho Nacional de Resistência e seu principal constituinte, a Organização Mojahedin do Povo (MEK), buscaram incansavelmente a mudança democrática. Seu programa de 10 pontos exige uma república com separação entre religião e estado, plenas liberdades individuais e sociais, igualdade de gênero, autonomia para nacionalidades étnicas, eliminação da pena de morte, judiciário independente, mercado livre, dissolução da Guarda Revolucionária e um Irã não nuclear com coexistência e cooperação internacional e regional.

Maryam Rajavi exortou a União Europeia a incluir a Guarda Revolucionária em sua lista de organizações terroristas, a acionar o chamado "mecanismo de retrocesso" no acordo nuclear de 2016 com o Irã que restauraria as sanções da ONU contra o regime, a designar o regime como um grave ameaça à paz e segurança globais e reconhecer o direito do povo iraniano de lutar para derrubar o regime, bem como o que ela chamou de “luta legítima da juventude iraniana” contra a Guarda Revolucionária.

Os protestos, disse ela, rejeitaram tanto a atual ditadura clerical quanto a ditadura do xá que a precedeu; eram falsas alternativas. “O povo iraniano está pronto para derrubar o regime.”

Compartilhe este artigo:

O EU Reporter publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do EU Reporter.

TENDÊNCIA