Entre em contato

Armênia

Armênia volta à mesa de negociações após recusar negociações com o Azerbaijão em dezembro

Compartilhar:

Publicado

on

O presidente do Azerbaijão e o primeiro-ministro da Armênia mantiveram conversações em Bruxelas, facilitadas pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel. Este desenvolvimento positivo viu progresso nas questões de fronteira e transporte depois que as conversas anteriores com o presidente Michel pararam quando a Armênia se recusou a participar de uma reunião em dezembro passado, escreve o editor de política Nick Powell.

Os esforços de Charles Michel para ajudar o Azerbaijão e a Armênia a concordar com uma paz duradoura foram suspensos no final do ano passado, quando o primeiro-ministro armênio Nikol Pashinyan se recusou a participar de uma nova reunião em Bruxelas com o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev. Mas a paciência da União Européia -e do Azerbaijão- foi recompensada com uma reunião realizada em 14 de março.

Parece que houve algum progresso em Bruxelas na disputa entre os dois países. É principalmente sobre a região de Karabakh, que fica dentro dos limites internacionalmente reconhecidos do Azerbaijão, mas trouxe devastação para uma área muito maior durante duas grandes guerras, causando miséria humana generalizada e perturbações econômicas. Após a reunião, o Ministério da Defesa do Azerbaijão informou que suas posições militares na região de Kalbajar foram atacadas por morteiros das forças armadas da Armênia.

No entanto, os líderes confirmaram que se reunirão novamente no próximo mês, juntamente com o presidente Macron da França e o chanceler Scholz da Alemanha, durante a cúpula da Comunidade Política Européia em Chisinau, na Moldávia. Os dois lados não ofereceram uma leitura detalhada de suas negociações em Bruxelas mas o Presidente Michel forneceu alguns comentários.

“Nossas trocas foram francas, abertas e voltadas para resultados”, afirmou. “Após as recentes negociações positivas nos Estados Unidos sobre o tratado de paz, o ímpeto deve ser mantido para tomar medidas decisivas para a assinatura de um acordo de paz abrangente entre a Armênia e o Azerbaijão”.

“Em questões fronteiriças, revisamos o progresso e os próximos passos em relação à delimitação da fronteira”, acrescentou. Charles Michel também relatou um bom progresso no desbloqueio de transporte e ligações econômicas “em particular na reabertura das conexões ferroviárias de e para Nakhchivan”.

Em uma entrevista com o EU Reporter no mês passado, Elchin Amirbayov, que é Assistente do Primeiro Vice-Presidente do Azerbaijão, falou sobre sua expectativa de que o Presidente Michel logo retomaria seu papel como facilitador das negociações de paz. Amirbayov viu a reconstrução da ferrovia através da Armênia, ligando o Azerbaijão ao enclave de Nakhchivan, como uma importante medida de fortalecimento da confiança.

Anúncios

Poderia fazer parte do Corredor Médio entre a Ásia e a Europa, argumentou ele, permitindo que a Armênia se beneficiasse dessa rota comercial cada vez mais importante, uma vez que uma paz sustentável reabrisse suas fronteiras com o Azerbaijão e a Türkiye. Ele disse que seu país estava oferecendo à Armênia uma estratégia 'ganha-ganha', não uma paz do vencedor.

“Com isso, a Armênia se beneficiará ainda mais porque estará aberta a investimentos, por exemplo, dos países ao seu redor”, explicou Amirbayov. “Seria considerado como um lugar relativamente estável que não está realmente arriscando nenhum novo confronto com seus vizinhos”.

O Ministério das Relações Exteriores do Azerbaijão confirmou posteriormente que as conversações de Bruxelas incluíram a delimitação de fronteiras e a restauração das comunicações. Sublinhou a extrema importância da aceitação pela Arménia da integridade territorial internacionalmente reconhecida do Azerbaijão.

Disse que a reunião também proporcionou uma oportunidade para discutir questões humanitárias, incluindo especialmente a importância de esclarecer o destino das pessoas desaparecidas e de acelerar o processo de limpeza de campos minados. O Azerbaijão permaneceu pronto para continuar o diálogo e a interação com parceiros internacionais para alcançar relações normais com a Armênia.

Compartilhe este artigo:

O EU Reporter publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do EU Reporter.

TENDÊNCIA